-

George R.R. Martin fala sobre Adaptações para Filmes e Séries

Diogo Fernandes, 29 de maio de 2024 09:00
George R.R. Martin fala sobre Adaptações para Filmes e Séries

O renomado autor de Game of Thrones, George R.R. Martin, manifestou a sua insatisfação com as adaptações de livros para TV e cinema, afirmando que raramente estão à altura do material original. Numa recente publicação no seu blog, Martin relembrou um painel com Neil Gaiman, criador da série de banda desenhada Sandman, adaptada pela Netflix.

Embora não tenha comentado diretamente sobre a série da Netflix, Martin observou que "muito pouco mudou desde" 2022 em termos de qualidade das adaptações.

“Se alguma coisa, as coisas pioraram”, escreveu Martin. “Há cada vez mais roteiristas e produtores ansiosos para pegar em grandes histórias e ‘fazê-las suas’. Parece não importar se o material original foi escrito por.”

“Não importa o quão importante seja um escritor, não importa o quão bom seja o livro, parece sempre haver alguém pronto a pensar que pode fazer melhor, ansioso por pegar na história e ‘melhorá-la’”, disse Martin. “‘O livro é o livro, o filme é o filme’, dirão eles, como se estivessem a dizer algo profundo. Depois fazem a história sua.”

Martin enfatizou que, na maioria das vezes, essas adaptações falham em melhorar o material original. “Novecentas e noventa e nove vezes em mil, tornam-na pior”, afirmou.

No entanto, Martin reconheceu que existem exceções. Ele mencionou que, ocasionalmente, há adaptações realmente boas de livros realmente bons. Ele citou a série FX, Shogun como um exemplo positivo.

O criador de House of the Dragon lembrou de ter lido o livro de 1975 de James Clavell quando foi lançado. Ele também elogiou a adaptação da minissérie de 1980, estrelada por Richard Chamberlain, chamando-a de “um marco”.

Quando questionado se a nova versão é melhor que a de Chamberlain, Martin ponderou: “Hmmm, não sei. Não vi a minissérie de 1980 desde, bem, 1980. Essa também era ótima.”

Martin concluiu a sua crítica destacando que tanto as versões antigas quanto as novas de Shogun mantiveram-se fiéis ao romance de Clavell de maneiras distintas. “O fascinante é que enquanto as versões antigas e novas têm algumas diferenças significativas — as legendas que tornam o diálogo japonês inteligível para os espectadores de língua inglesa sendo as maiores — ambas são fiéis ao romance de Clavell à sua maneira. Acho que o autor teria ficado satisfeito. Tanto os antigos como os novos roteiristas honraram o material original e deram-nos adaptações fantásticas, resistindo ao impulso de ‘fazer delas suas’.”



Onde ver House of the Dragon Online?

JustWatch